DESERTO – O Lugar do Encontro


Quando se fala em deserto, sobretudo no contexto cristão, ficamos assustados, entristecidos, desafiados e até com um sentimento de injustiça.

Parece ser inevitável que em algum ponto de nossa caminhada cristã tenhamos que lidar com essa situação. E até mesmo o mais otimista de nos não desejaria voluntariamente passar pelo “deserto”, pois todos nós conhecemos alguém que passou ou passa por essa situação e geralmente o relatório não é dos melhores.

Quando se fala em deserto logo somos remetidos a um sentimento de que perdemos o  controle da situação, parece que tudo está dando errado e que estamos a passos largos indo ladeira a baixo. Ficamos envergonhados, humilhados e a maioria de nos pensa que é o fim, pois no deserto nada funciona da forma convencional, as sensações são intensas e a verdade é que poucas coisas são explicáveis nessa situação.

Na palavra de Deus encontramos alimento e esperança e aquele que tem sua vida orientada pela verdade passa pelo Deserto com grande alegria. Essa é a alegria reservada aos que estão amplamente supridos pela palavra e pelo Espirito de Deus.
 

Disse o Senhor a Moisés:
"Diga aos israelitas que me tragam uma oferta. Receba-a de todo aquele cujo coração o compelir a dar. Estas são as ofertas que deverá receber deles: ouro, prata e bronze,
fios de tecido azul, roxo e vermelho, linho fino, pêlos de cabra, peles de carneiro tingidas de vermelho, couro, madeira de acácia, azeite para iluminação; especiarias para o óleo da unção e para o incenso aromático; pedras de ônix e outras pedras preciosas para serem encravadas no colete sacerdotal e no peitoral. E farão um santuário para mim, e eu habitarei no meio deles.
Façam tudo como eu lhe mostrar, conforme o modelo do tabernáculo e de cada utensílio.”
Êxodo 25:1-9

 Nesse contexto o povo de Deus havia sido escravizado por cerca de 400 anos, mas o Senhor havia levantado a Moisés para libertá-los do Egito e assim os estava conduzindo pelo deserto pra fora da escravidão seguindo para a terra prometida.

Então Senhor deu ordem para que fosse construído um tabernáculo, o lugar onde Ele se revelaria a Seu povo, lugar onde se manifestaria com poder para trazer Seus desígnios e para ter comunhão com o Seu povo.

Muitos são os detalhes maravilhosos contidos nos textos que constroem o pano de fundo de nossa abordagem, mas nessa oportunidade desejo enfatizar o fato de que Deus não construiu um tabernáculo no Egito e de igual modo não o fez posteriormente na terra prometida... Ele tão somente criou o tabernáculo, a expressão máxima de Sua manifestação naquele tempo em meio ao DESERTO!

Foi no deserto que o nosso bom Deus marcou um encontro com o Seu povo para levá-los ao arrependimento, purificá-los e ter comunhão com eles. Repito, Ele não fez isso no Egito e nem mesmo na terra prometida, pois o desejo de Deus é fazer do deserto um lugar de passagem, um lugar de encontro, um lugar de transformação. É o desejo de Deus nos encontrar e transformar as nossas vidas através de nosso arrependimento e atitude de temor a Ele. Quero chamar a sua atenção também para o fato descrito no texto em questão. Em Exodo 25: 1-9 podemos perceber que Deus veio como resposta ao pedido do povo para ser liberto da escravidão e Ele planejou esse encontro no deserto através do tabernáculo, mas Deus não age onde não há uma atitude sacrificial, onde não há disposição para entregar uma oferta pessoal, Deus não se manifesta. Deus iria construir sim o tabernáculo, mas o POVO foi quem ofertou todo o material para a sua confecção. Todos tiveram que se esforçar e trazer algo para contribuir. Esse é um sinal para nos hoje. O Deserto é o lugar onde entregamos nossas melhores ofertas, é no deserto que aprendemos a valorizar a Deus com tudo que temos e tudo que somos. É no deserto que somos desafiados a uma transformação real, a uma mudança completa nas atitudes, é onde aprendemos a valorizar a Deus, é onde somos capacitados para receber poder do alto e fazer desse poder a nossa única fonte de força e sabedoria.

Entenda que é no deserto que recebemos uma identidade para tomar posse da terra prometida. Assim a visão muda, o que outrora era um lugar de vergonha e humilhação passa a ser o lugar separado por Deus para nos resgatar, ensinar e transformar. O deserto é o lugar onde plantamos nossa semente de fé e obediência e em Sua presença somos preparados para viver o melhor tempo de nossas vidas.  Não há vergonha ou humilhação no deserto quando enxergamos em Sua presença o valor único de ter o bem mais precioso do universo... a presença manifesta do nosso poderoso Deus.  

Ele é contigo, e sem duvidas é necessário que atravessemos o deserto, pois sem Ele não aprendemos a entregar o nosso tudo, sem o deserto jamais conseguimos admitir que Deus não é tudo que precisamos... ELE é a única coisa que temos!

Deus te abençoe e fortaleça!
 
Pr. Saulo Moscoso (Min. Sobre_Osjoelhos)

 

 

Comentários

Em Destasque

SEM SACRIFÍCIO NÃO HÁ FOGO (Romanos 12:1)

NÃO ANDO SEGUNDO O CONSELHO DOS ÍMPIOS (Salmo 1)

QUEBRANDO A QUINTA COLUNA (Nm 16)